Archive for novembro \16\UTC 2015

Deleuze – Rizoma

novembro 16, 2015

Razão Inadequada

rizomari.zo.ma; sm (rizo+oma) Bot: Caule subterrâneo no todo ou em parte e de crescimento horizontal.

Mais uma vez, se vamos definir o que significa o conceito de rizoma para Deleuze e Guattari, é importante evidenciar a diferença entre o substantivo e o conceito. Rizoma é uma raiz, mas não aquela raiz padrão que aprendemos a desenhar na escola, trata-se de uma raiz que tem um crescimento diferenciado, polimorfo, ela cresce horizontalmente, não tem uma direção clara e definida.

Deleuze e Guattari “roubam” esta definição da botânica para aplicá-la à filosofia. Do mesmo modo que Descartes afirma que a filosofia seria uma árvore “a raiz a metafísica, o caule a física e a copa e os frutos a ética”, Deleuze subverte esta ideia para transformá-la em um rizoma. Não devemos mais acreditar em árvores, nem em seus prometidos frutos. Queremos um pouco de terra… já é tempo.

Ver o post original 469 mais palavras

Anúncios

Da filosofia como modo superior de dar o cu ou Deleuze e a “homossexualidade molecular” – Paul Beatriz Preciado

novembro 10, 2015

Territórios de Filosofia

Da filosofia como modo superior de dar o cu ou Deleuze e a “homossexualidade molecular”.

Paul Beatriz Preciado.*

Só há uma sexualidade, a homossexual … Só há uma

sexualidade, a feminina.

Félix Guattari, 1979

A homossexua1idade é a verdade do amor.

Gilles Deleuze, 1964

A noção de “homossexualidade molecular” de Deleuze continua sendo um conceito periférico raramente analisado pelos comentaristas deleuzianos, apesar da posição estratégica que esta ocupa na estrutura de O Anti-Édipo e da frequência com a qual Deleuze e Guattari se afirmam “homossexuais moleculares” durante os anos setenta: “Somos heterossexuais estatisticamente ou molarmente, mas homossexuais pessoalmente, quer o saibamos ou não, e, por fim, transexuados elementarmente, molecularmente.”[1]

A “homossexualidade molecular”, ou local, materializada através de um coming-out que não se deixa reduzir nem à identidade nem à evidência das práticas, pertence indubitavelmente ao conjunto de traços com que Deleuze se apresenta como pessoa pública. A…

Ver o post original 5.781 mais palavras

Os amantes do Café Flore – Beauvoir e Sartre

novembro 3, 2015

Os amantes do Café Flore – Beauvoir e Sartre

Link youtube